fbpx
Início Agricultura 7 fatores que influenciam os preços do calcário

7 fatores que influenciam os preços do calcário

148
0
Calcário Agrícola. Fonte: Geograph® Britain and Ireland Project.
Calcário Agrícola. Fonte: Geograph® Britain and Ireland Project.

O calcário é uma rocha cujo mineral predominante é o carbonato de cálcio. Além do seu conhecido uso na agricultura, este material de origem sedimentar possui um grande número de aplicações na construção civil e nas indústrias química, metalúrgica, entre outras.

A agropecuária é o maior consumidor deste insumo no Brasil e, considerando esta parte do setor primário da economia, sua principal função é o aumento do pH dos solos, processo também conhecido como correção da acidez dos solos. Nosso país tropical tem predominância de solos ácidos e a acidez precisa ser corrigida a fim do adubo, insumo que geralmente é bem oneroso para o produtor, ser melhor absorvido pelas plantas e assim, proporcionar melhor produtividade.

O artigo “5 fatores de perda de produtividade da lavoura” explica formas de evitar a redução da produtividade e o e-book gratuito da Agromove “7 estratégias para aumentar a sua produtividade” pode auxiliar o produtor ainda mais neste tópico.

De acordo com a ABRACAL (Associação Brasileira dos Produtores de Calcário Agrícola), o volume de calcário agrícola utilizado no país vem crescendo ano a ano, chegando ao montante de 43 milhões de toneladas em 2018, um crescimento anual de 16%. Entretanto, estimativas dessa Associação indicam que o volume ideal seria de 80 milhões de toneladas de calcário, diante da natureza ácida dos solos brasileiros e a atual capacidade de agricultura brasileira.

Em razão da importância deste insumo na agricultura brasileira, o intuito deste artigo é apresentar 7 fatores que influenciam os preços do calcário agrícola.

7 fatores que influenciam os preços do calcário agrícola.

É importante ressaltar que mais de um fator é responsável pela queda ou aumento dos preços. Além disso, um fator geralmente influencia outro, como será exemplificado a seguir.

Aplicação de Calcário. Fonte: Mark Robinson.
Aplicação de Calcário. Fonte: Mark Robinson.

Custo de Transporte

O valor do frete é talvez o principal fator considerado pelo produtor no momento da compra de calcário. Segundo informações do diretor da Calcário do Pará (Calmap), Antônio Holanda Neto, o valor do frete pode facilmente superar o preço do próprio calcário. De acordo com informações do Instituto de Economia Agrícola (IEA), o custo de transporte é impactado majoritariamente, pelos preços dos pedágios nas estradas e pelo preço do óleo diesel e dos lubrificantes.

De acordo com publicação de 2018 da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA),  após o estabelecimento da tabela de frete mínimo, determinada após a Greve dos Caminhoneiros, houve acréscimo de 30% no custo do frete e 21% no preço final do calcário agrícola. Abaixo, será mostrado como outras medidas econômicas influenciam o preço total do frete de calcário agrícola no Brasil.

Período do ano safra

A época do ano influencia o preço do calcário agrícola e outros insumos por impactar diretamente a demanda destes pelo produtor.  O solo deve ter seu pH corrigido com calcário alguns meses antes do plantio, para melhor produtividade da lavoura. Assim, durante o período de preparação para uma nova safra, a procura por calcário agrícola no mercado aumenta, elevando assim o seu preço.

Geralmente, a demanda por calcário começa a aumentar em abril.  Já segundo artigo de Adalberto Mansur, do Sindical (Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo), o período de maior demanda de calcário no Estado de São Paulo ocorre entre julho e outubro, com o objetivo principal de correção de solos destinados as culturas de cana de açúcar e laranja.

Políticas Econômicas

A determinação ou isenção de Taxas e impostos do governo federal ou dos estados influenciam o preço de todos os bens e serviços no país. Elas fazem parte do conjunto de ações tomadas pelo governo, chamado de Política Econômica, a fim de atingir determinados objetivos na situação econômica do país.

Um exemplo de isenção de imposto que reduz o preço final do frete do calcário é o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). No mês passado, o Estado do Pará retirou o ICMS atribuído ao transporte de calcário no estado, sendo o prazo final desta medida o mês de outubro. Este incentivo reduz o preço final do calcário e visa beneficiar a produção agrícola no Pará, muito dependente deste insumo devido aos solos ácidos.

Outro exemplo de ação que influencia o preço do calcário é a alteração da taxa CFEM (Compensação Financeira pela Exploração de Recursos Minerais). Segundo a Constituição Federal, depósitos minerais no país são considerados bens da União, sendo o direito da atividade de produção de calcário agrícola em território nacional concedido pelo Ministério de Minas e Energia. Desta forma, a empresas exploradoras de depósitos de calcário e outros produtos minerais devem pagar a CFEM ao governo.

Em outubro de 2019, o Senador Luis Carlos Heinze (Progressistas/RS) propôs a redução da taxa da CFEM para o calcário agrícola de 2% para 0,2%.  A redução proposta pelo Senador reduziria o custo para as empresas produtoras, e consequentemente, o preço pago pelo consumidor, o produtor rural. Para saber mais sobre a CFEM, o Instituto Minere apresenta um bom artigo.

Produção de Calcário. Fonte: IAAP.
Produção de Calcário. Fonte: IAAP.

Qualidade

Segundo Dirk Braen, da Braen Stone Company, quando se compra calcário agrícola de empresas sem garantia de qualidade pode significar o menor preço, mas não um calcário de boa qualidade. A redução do custo do insumo pode não compensar.

Além disso, comprar calcário de revendedores, ao invés de uma empresa produtora pode também, levar a preços mais altos e incertezas quanto à qualidade e especificações do produto.

Preço dos combustíveis fósseis

A produção de calcário é extremamente dependente de energia. Segundo documento da EPA (Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos), considerando uma taxa de eficiência de 100% (maior que a taxa real), a produção de 1 tonelada de calcário necessita de 2,77 milhões de BTU ou 811,61 Kw. Além disso, toda essa energia é oriunda de combustíveis fósseis. O óleo diesel e óleos lubrificantes são os principais combustíveis fósseis utilizados na produção em território nacional. Nos Estados Unidos, os mais comuns são o gás natural, o coque e o carvão.

Com isso em mente, espera-se alteração no preço do calcário agrícola quando o preço dos combustíveis fósseis muda. Isso foi observado em 2017, quando ocorreu aumento do PIS/COFINS (Programa de Integração Social/Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social) dos combustíveis no Brasil. Segundo avaliação do presidente da ABRACAL (Associação Brasileira dos Produtores de Calcário Agrícola), o aumento destes impostos, afetou diretamente o preço do calcário e, por consequência, o preço pago pelo consumidor dos produtos agrícolas.

Outro exemplo, mais recente, é a atual queda do preço dos combustíveis devido ao menor consumo – provocado pela Pandemia de Covid-19 – e a Crise do Petróleo, decorrente da falta de acordo entre Arábia Saudita e Rússia em relação ao volume de oferta do petróleo.

Reservas Nacionais

O calcário é um insumo não renovável, com seu volume mundial diminuindo ano após ano. Desta forma, a tendência de aumento gradativo para preços deste insumo é inevitável.  Atualmente, o Serviço Geológico dos Estados Unidos (USGS) afirma que as reservas mundiais de rochas calcárias é suficiente para abastecer o mercado por muitos anos. Segundo relatórios da ANM (Agência Nacional de Mineração) e do USGS, o Brasil é um dos maiores produtores e produz o volume de calcário necessário para seu consumo, não sendo divulgados volumes de exportação e importação. Já países como Alemanha e Ucrânia, precisam importar calcário para atender sua demanda interna, tanto do setor agrícola como do setor de construção civil, pagando um preço maior pelo produto. O Paraguai, outro exemplo de importador, compra a maior parte do calcário agrícola usado em suas lavouras (80%) do Brasil.

Abertura de novas minas de exploração

Embora o USGS afirme que o planeta tenha reservas de calcário para abastecer o mercado mundial por muitos anos, a mesma instituição alerta para 2 questões importantes no futuro que influenciarão o equilíbrio da oferta e demanda de calcário. Primeiro, o tempo necessário para a abertura e início de produção de novas minas de calcário é grande. Nos Estados Unidos, estima-se que este período, desde a construção da unidade de extração até a finalização da licença de exploração federal, leve até 12 anos. Segundo, a abertura de novas minas de exploração pode ser afetada pelo crescimento de centros urbanos em áreas de rochas calcáreas mineráveis, o que levaria a proibição da exploração de calcário nestas regiões.

Diante deste cenário, o USGS acredita que estas 2 questões possam futuramente impactar a oferta de calcário mundial e promover um desequilíbrio entre a oferta e demanda de calcário, uma vez que esta última deve continuar a crescer nos próximos anos. Desta forma, os preços do calcário poderão subir.

Conclusão

A correção da acidez dos solos agrícolas é primordial para o incremento da produtividade das lavouras e melhor utilização de fertilizantes. A aplicação de calcário é uma das ferramentas que visam este fim e precisa ser considerada pelo produtor que busca aumentar a produtividade de sua lavoura ou da pastagem ofertada à sua criação animal. Assim, este artigo buscou explicar melhor os fatores que influenciam o preço do calcário no mercado e também contribuir com divulgação da importância do mesmo.

Você conhece as Novas Plataformas Inteligentes Agromove? Tenha muito mais que as Cotações do Boi Gordo, Milho e Soja atualizadas diariamente em suas Mãos!

Nova Plataforma Agromove
Nova Plataforma Inteligente Agromove

>> Você quer saber os 7 fatores que influenciam os preços de adubos? Acesse o artigo em nosso Blog.

>> Leia mais em Principais fatores que influenciam os preços de milho e soja no mercado brasileiro.

>> Você sabe quais são as Perspectivas para o Milho em 2020? Assista ao webinar do Alberto Pessina.

Entre os principais benefícios da Calagem está a correção do pH do solo e o fornecimento de cálcio, magnésio e fósforo. Você sabe calcular a Necessidade de Calagem para a sua área? Você pode aprender no “Guia Prático para melhorar a Produtividade da sua Lavoura – Calagem e Gessagem”!

e-book Calagem e Gessagem
e-book Calagem e Gessagem

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here