fbpx
Início Artigo Cálculo de custo e indicador de custos de produção para bovinos em...

Cálculo de custo e indicador de custos de produção para bovinos em confinamento – Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal (LAE)

Boi Gordo: cupins enfileirados
Foto: @ilzinhaporto.

Introdução

Em 2019, o PIB da pecuária de corte representou 8,5% do PIB total. Segundo o Relatório Anual BEEF REPORT 2020, da ABIEC: “o movimento do agronegócio da pecuária de corte em 2019 foi de R$ 618,50 bilhões, 3,5% acima dos R$ 597,22 bilhões registrados em 2018”.

Este crescimento é resultado, em grande parte, da adoção de novas tecnologias no manejo, na nutrição do gado de corte, melhoramento genético, gestão, entre outros pontos. Estas técnicas melhoram os resultados na pecuária de corte e é fundamental para o pecuarista ter lucro na atividade.

O Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal (LAE), da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia, da Universidade de São Paulo (FMVZ/USP), acompanha a evolução dos custos de produção e divulga mensalmente o Informativo de Custo de Produção de Bovinos Confinados (ICBC) e o Informativo do Índice de Custo de Produção do Cordeiro Paulista (ICPC). A partir de outubro de 2020, estes informativos também estarão disponíveis no blog da Agromove.

Cálculo de custo e indicador de custos de produção para bovinos em confinamento

Neste artigo, acompanhe o cálculo de custo e indicador de custos de produção para bovinos em confinamento.

O cálculo de custo de produção apesar de ser importante para o processo de decisão é, ainda, um desafio para vários produtores. Uma das dificuldades é a consideração dos itens de custo da atividade agropecuária que variam conforme a teoria utilizada, pois não existe método padrão previamente definido. Todavia, nas análises econômicas realizadas, alguns custos são subestimados, ou então, desconsiderados, quando na verdade, a alocação destes deveria abranger todos os itens relacionados à produção.

Devido as diferenças metodológicas os confinadores podem encontrar dificuldades de comparar os custos e indicadores econômicos entre propriedades, sem antes, entender a definição dos itens que compõem esta análise. Isso também implica em dificuldades de compreender as variações de preços e custos ao longo do tempo, devido, à instabilidade das commodities agrícolas, cujos preços sofrem significativas alterações em curtos períodos de tempo.

Nesse sentido, foi desenvolvido o projeto de pesquisa que teve por objetivo: i) desenvolver em planilha eletrônica modelo matemático para o cálculo de custo de produção de bovinos de corte em confinamento; e ii) elaborar o Índice de Custo de Produção de Bovinos Confinados (ICBC) para os Estados de São Paulo e Goiás.

Você quer aprender sobre Mercado Futuro e Opções de Futuros na Pecuária de Corte? Montar operações de proteção para os custos de seus insumos🌽!

Metodologia

Os resultados da alocação de todos os itens de custo do modelo de cálculo proposto seguiram os preceitos da Teoria Econômica. A organização dos custos visou à simplicidade para permitir o fácil entendimento, a comparação e a tomada de decisão, sem, contudo, deixar de considerar os itens efetivamente necessários na produção de bovinos confinados. Desta forma, o esquema de alocação de custo proposto consta no quadro seguinte:

A – CUSTOS VARIÁVEIS – CV
1. Aquisição de animais;
2. Alimentação;
3. Manejo sanitário;
4. Manejo de identificação;
5. Outros custos variáveis;
6. Impostos variáveis.
B – CUSTOS SEMIFIXOS – CSF
7. Energia elétrica;
8. Telefonia e serviços de internet;
9. Combustíveis;
10. Outros custos semifixos.
C – CUSTOS FIXOS – CF
11. Mão de obra;
12. Depreciações;
13. Manutenções;
14. Outros custos fixos.
D – RENDA DOS FATORES – CO
15. Remuneração do capital de giro:
15.1. com animais;
15.2. com alimentação; e
15.3. com outros itens.
16. Remuneração do capital fixo;
17. Remuneração da terra.
E – CUSTO OPERACIONAL EFETIVO – COE (A + B + 11)
F – CUSTO OPERACIONAL TOTAL – COT (A + B + C)
G – CUSTO TOTAL – CT (A + B + C + D)
H – CUSTO OPERACIONAL DA ATIVIDADE – COP (CT – 1 – 2 – 15.1 – 15.2)
Quadro 1 – Esquema de alocação dos custos de produção para unidade de confinamento de bovinos. Fonte: Dados da pesquisa.

Com a descrição dos itens de 1 a 17 foi possível atender, pelo menos, quatro diferentes indicadores de custo, representados pelas letras de E a H. Os indicadores de Custo Operacional Efetivo e Total (itens E e F), comumente, são utilizados pelos pesquisadores no ambiente acadêmico. O item G, Custo Total, é a forma mais completa de análise dos custos, segundo indica a Teoria Econômica. Cabendo ao item H, referente ao Custo Operacional da Atividade, a função de atender ao modo utilizado pelos confinadores. Essa estrutura de custo foi utilizada no modelo de cálculo, desenvolvido no software Microsoft Excel® e serviu para analisar os resultados a posteriori.

Bois no curral. Foto: @ilzinhaporto.
Foto: @ilzinhaporto.

Para atender o segundo objetivo deste estudo foi elaborado o Índice de Custo de Produção de Bovinos Confinados (ICBC) o qual tem sido divulgado mensalmente. Para gerar os resultados de custos foram delineadas propriedades representativas a partir de levantamento feito a campo em SP e GO com 19 confinadores.

A partir da coleta de dados de dez confinamentos no Estado de São Paulo criaram-se duas unidades que as representasse – o que se conhece como, propriedade representativa: uma com capacidade de produção de 3 mil animais ao ano (CSPm) e outra de 27 mil animais ao ano (CSPg). Em GO coletou-se dados de 9 confinamentos e foi criado uma propriedade representativa de capacidade de 16,5 mil animais ao ano (CGO). Em todas as propriedades representativas – CSPm, CSPg e CGO – as instalações, máquinas, equipamentos e equipe foi adaptado dentro das devidas proporções. A seguir apresenta-se alguns dos parâmetros utilizados nas propriedades.

Tabela 1 – Parâmetros utilizados nas propriedades representativas, contemplando os confinamentos nos Estados de São Paulo e Goiás. Fonte: Dados da pesquisa.

A partir da definição das propriedades representativas, foi possível calcular os custos de produção e compará-los ao utilizar o modelo de cálculo desenvolvido. A seguir, foram descritos os custos para as propriedades representativas no mês de setembro de 2020.

Tabela 2 – Custo de produção das propriedades representativas de bovinos de corte em confinamento, referente ao mês de setembro de 2020. Fonte: Dados da pesquisa.

Observou-se que os custos totais por arroba foram similares entre si, no entanto, CSPm foi 1,7% e 2,7% superior do que CSPg e CGO, respectivamente. O COPd foi semelhante entre as propriedades de maior capacidade produtiva CSPg e CGO, R$ 1,58 e R$ 1,63, na ordem, e maior para CSPm que foi de R$ 1,73. Ou seja, a capacidade instalada de produção reduz os custos operacionais do sistema. Ao analisar o Custo da Diária-Boi (CDB), verificou-se que em Goiás há menores custos do que aquelas propriedades localizadas no Estado de São Paulo. Assim, diferentes indicadores de custo proporcionam análises com entendimento mais amplo sobre as decisões de produção. Por fim, a partir do ICBC mensal, se acompanhou as variações dos índices de custos desde abril de 2017, quando se iniciou o monitoramento mensal (Figura 1).

Figura 1 – Variação dos índices de custos entre abril de 2017 e setembro de 2020 das propriedades representativas estudadas em SP e GO. Fonte: Dados da pesquisa.

Observa-se que entre junho de 2017 e setembro de 2018 o ICBC mensal aumentou gradativamente para as três propriedades analisadas. O índice recuou de fevereiro a agosto de 2019, segundo o monitoramento feito por este estudo, e desde, então, houve expressivo aumento no índice. Entre abril de 2017 e setembro de 2020 o ICBC evoluiu, em média, 45% para as propriedades representativas de São Paulo e 60% para Goiás. Nos últimos doze meses esse aumento foi de 38%, aproximadamente, para aquelas propriedades analisadas.

Conclusão

Diante do modelo de cálculo e do indicador de custos desenvolvidos, os confinadores podem ter conhecimento do seu próprio custo de produção e comparar os seus indicadores de custos com outras propriedades – desde que utilizem a mesma base metodológica – e até mesmo com os resultados divulgados por este estudo mensalmente. O ICBC mensal proporciona o acompanhamento constante do comportamento dos custos de produção de bovinos confinados.

Caso você queira obter a planilha para cálculo de custo de produção e receber mensalmente o indicador de custos de bovinos confinados, envie-nos mensagem por e-mail e solicite gratuitamente: [email protected]

O projeto de pesquisa foi desenvolvido no mestrado do primeiro autor, MSc. Gustavo Lineu Sartorello, intitulado: “Desenvolvimento de modelo de cálculo e de indicador de custos de produção para bovinos de corte em confinamento”, junto ao Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal (FMVZ/USP). Disponível em: www.teses.usp.br. Para acessar o artigo completo: http://dx.doi.org/10.1590/rbz4720170215.

Quero conhecer o curso Lucrar Alto Fora da Porteira

Quer aprender a explorar as oportunidades que as oscilações de commodities oferecem? Conheça as Plataformas Inteligentes Agromove, uma ferramenta prática e muito fácil de usar, que auxilia os produtores a aumentarem o seu lucro.

Artigo anteriorMicronutrientes: Por que são tão importantes?
Próximo artigoComo o Calcário atua no Solo
Graduado em Zootecnia pela Faculdade de Ciências Agrárias e Tecnológicas da Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho" - Unesp (2013). Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Nutrição e Produção Animal da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) Universidade de São Paulo (USP) (2016) e atualmente é aluno de doutorado no mesmo programa de pós-graduação. Atua na área de Economia da Produção Animal, com ênfase no desenvolvimento de modelo computacional de simulação para cálculo de custos, viabilidade econômica e análise de risco na integração lavoura-pecuária de corte.
Graduado em Zootecnia pela Faculdade de Ciências Agrárias da Fundación Universitaria Agraria de Colombia (Colômbia, 2014). Atualmente é pós-graduando em nível de Mestrado da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos (FZEA) da Universidade de São Paulo (USP). Pesquisador no Laboratório de Fermentabilidade Ruminal (LFR) e no Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal (LAE), aonde desenvolve trabalhos de avaliação do nível de sustentabilidade e impacto ambiental dos sistemas de produção animal.
Bacharel em Zootecnia pela Universidade Federal de Uberlândia (2018). Atualmente é pós-graduanda a nível de Mestrado no Departamento de Nutrição e Produção Animal da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da Universidade de São Paulo - Campus Fernando Costa. Pesquisadora do Laboratório de Pesquisa em Suínos (LPS) e do Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal (LAE), onde desenvolve trabalhos de modelagem matemática aplicados à produção animal, com ênfase em suinocultura. Bolsista FAPESP com o projeto "Desenvolvimento de modelo de cálculo e indicador de custos de produção de suínos" sob o processo de nº 2019/17453-4.
Estudante de Engenharia de Alimentos na Universidade de São Paulo com experiência de 1 ano e 4 meses na área de análise de dados, levantamento de preço (insumos, máquinas, software), prospecção de mercado e novos fornecedores para confinamento no Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal (LAE) e de monitoria da seção Pró-aluno, possuindo perfil proativo e organizado e oportunidades de desenvolvimento de liderança, responsabilidade, comunicação e sólidos conhecimentos no pacote MS Office (Excel, Word e PowerPoint) e inglês intermediário.
Augusto Hauber Gameiro é Engenheiro Agrônomo pela Faculdade de Agronomia Eliseu Maciel da Universidade Federal de Pelotas, Bacharel em Ciências Contábeis pela Universidade Metropolitana de Santos, Mestre e Doutor em Economia Aplicada pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo e tem Pós-Doutorado pela Université Paris-Saclay (AgroParisTech/INRA). Suas áreas de dedicação e interesse são a ´Contabilidade Gerencial da Agropecuária´, a ´Modelagem matemática da produção agropecuária e agroindustrial´ e o ´Estudo da Relação entre animal, sociedade e natureza´. Atualmente, é Professor Associado da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Universidade de São Paulo Na FMVZ/USP, é Coordenador do Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal (LAE).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here