Plantio direto: Sistema diferenciado de manejo

0
389
Plantio Direto. Foto: Senar.
Plantio Direto. Foto: Senar.

O sistema de plantio direto, é uma técnica conservacionista bastante difundida entre os agricultores. Chegou ao Brasil no início da década de 70 pela Região Sul. E hoje, é praticado por grande parte dos grandes produtores do país.

Este sistema mostrou-se efetivo de tal forma que foram desenvolvidas diferentes técnicas para implantá-lo. Dependendo da região de implantação.

Neste texto, iremos explorar um pouco sobre este sistema.

Você quer receber este artigo completo em PDF? Solicite aqui!

Diferenças entre plantio direto e indireto

Para começar nossa conversa sobre o sistema de plantio direto, é necessário antes, diferenciar o sistema de plantio direto e indireto.

O sistema indireto, também conhecido como sistema convencional, se baseia nas técnicas comumente conhecidas. O preparo do solo é composto pela retirada da vegetação nativa ou dos restos do plantio anterior. Na sequência, vem a aração e a gradagem. Neste sistema também é feita a aplicação de agroquímicos. Estes evitam a aparição de organismos indesejados, em destaque, as plantas daninhas. Para saber mais sobre plantas daninhas clique aqui.

Figura 1 - Arado em plantio convencional.
Fonte: Agropro.
Figura 1 – Arado em plantio convencional.
Fonte: Agropro.

Já o sistema direto é composto por técnicas conservacionistas. Ou seja, todo o processo é feito em cima da palhada remanescente da vegetação anterior. Neste sistema as etapas convencionais de preparo do solo (como a gradagem, por exemplo), não são realizadas.

Figura 2 - Plantio de sementes sob palhada. Plantio Direto.
Fonte: Rijeza.
Figura 2 – Plantio de sementes sob palhada. Plantio Direto.
Fonte: Rijeza.

Como surgiu o plantio direto

Edward H. Faulkner foi um pensador americano do estado de Ohio. Incentivado pelas discussões sobre a teoria malthusiana, desenvolveu o princípio do sistema de plantio direto, por volta do ano de 1940. Seu principal objetivo com este processo foi desenvolver métodos que poderiam ser menos prejudiciais ao solo e responder a dúvidas como ‘Problem vital to Man’s survival on this planet‘ (Problema vital para a sobrevivência do ser humano neste planeta). Saiba mais sobre o breve histórico de Faulkner aqui.

No Brasil, este sistema começou a ser explorado no início de 1970. De acordo com um artigo publicado pelo jornal da cooperativa Coamo, o primeiro registro que se tem sobre o uso de plantio direto no Brasil vem da região norte do Paraná.

O produtor Herbert Bartz realizou o primeiro plantio direto no ano de 1974, após sua viagem aos Estados Unidos, onde conheceu e aprendeu sobre a técnica.

Você sabe o que são níveis de Produtividade?

  • Produtividade Potencial
  • Produtividade Atingível
  • Produtividade Real

Explore o espaço entre a Produtividade Real e a Produtividade Atingível! Alcance a Produtividade Máxima e tenha como limite apenas os fatores que não podemos controlar! Solicite gratuitamente o seu e-book “7 estratégias para aumentar a sua produtividade”!

A evolução do plantio direto no Brasil

Como qualquer técnica voltada para a agricultura, desenvolvida ou não no Brasil, o sistema de plantio direto sofreu algumas alterações. Principalmente para que ela pudesse se adequar às diferentes situações dos produtores do país.

A princípio, houve alguns problemas na implantação deste sistema. Majoritariamente quanto ao maquinário, que trabalhavam no solo com um sistema rotativo, e herbicidas, que era mais comum o uso de dessecantes, não utilizando herbicidas pós-emergentes (mais adequados a este tipo de sistema). Saiba mais sobre o histórico do uso de herbicidas aqui.

Outra questão importante, na aceitação inicial deste sistema, foi a condição do solo da época. De acordo com Joaquim Costa: “A primeira camada do solo já era deficitária e erodida, o que dificultava o plantio e a colheita das lavouras […] Havia, também, a questão de correções do solo, pois o produtor não usava a correção como pré-requisito para entrar no plantio direto

Com tantas dificuldades, alguns produtores desistiram do sistema logo após o primeiro ano. E, em alguns casos, acabavam divulgando suas experiências negativas.

Diante do número de desistências e da importância do sistema para a agricultura da época, os técnicos responsáveis precisaram avaliar a situação dos produtores e, a partir daí, desenvolver métodos mais adequados para a situação vivenciada.

Com base nestes esforços, os produtores foram assimilando e desenvolvendo tecnologia. E no final da década de 70, mais de 10 mil hectares já estavam sendo cultivados com o sistema de plantio direto na Região Sul do país.

Como é feito o plantio direto

Por se tratar de um sistema bastante equilibrado, o plantio direto também se apresenta como um sistema complexo. E para que haja pleno sucesso em sua aplicação é necessário seguir alguns passos básicos.

  • Criação de um cronograma – É necessário saber o que será feito todo o ciclo com antecedência, isso permite uma maior garantia de sucesso.
  • Rotação de culturas – O texto sobre rotação de culturas comenta as vantagens deste método para a lavoura. Mas, resumidamente, a rotação de culturas permite uma mais rápida reposição dos nutrientes no solo. Isso gera um saldo positivo para a lavoura a médio e longo prazo.
  • Erradicação do preparo do solo – O uso contínuo de maquinário pesado, para efetuar as atividades de grade e arado, acaba por gerar compactação na camada subsuperficial do solo, o que é prejudicial à cultura. Para que o sistema de plantio direto seja eficiente é necessário utilizar métodos de descompactação antes da implantação do mesmo, com o uso de plantas ou maquinário adequado.
  • Manutenção de cobertura morta – O sistema de plantio direto tem como base a manutenção da palhada para a conservação do solo. Manter essa palhada sobre o solo durante o desenvolvimento da cultura, diminui problemas para o mesmo.

A Amostragem de Solo é uma das fases mais importantes para a correção do solo e a recomendação de adubação! Você quer minimizar ao máximo os erros na sua Amostragem de Solo? Solicite gratuitamente o e-book “Como realizar uma amostragem ideal”.

Vantagens desta técnica conservacionista

Com o sistema de plantio direto, o produtor diminui e até anula os principais problemas causados pelo manejo de solo. Além disso, como um “bônus”, ele ainda melhora sua produtividade através da melhora no ambiente de plantio para a cultura.

De acordo com o portal agropecuário, fora os benefícios já citados, a utilização do sistema de plantio direto possui outras vantagens:

  • Diminuição da emissão de gases de efeito estufa – Benefício para o planeta e para a sociedade local.
  • Manutenção da microflora do solo – Permite a formação de colônias de microorganismos benéficos à planta. Isso auxilia no eco equilíbrio do solo e acarreta uma melhora no mesmo ao longo do tempo.
  • Controle de erosão – a palhada mantida em campo atua como uma barreira física à erosão do solo.
  • Recuperação de pastagens degradadas – Neste caso, o produtor pode realizar rotação com outras culturas como soja, milho e algodão. Ou então, pode fazer o plantio consorciado, como em iLP’s e iLPF’s. Saiba mais sobre o sistema Lavoura-Pecuária aqui.
  • Reduz a compactação do solo – Essa redução ocorre por conta da diminuição do tráfego de maquinário pesado na área de plantio.

Conclusão

O sistema de plantio direto já está presente na maioria das áreas de plantio de grandes culturas. E vem se mostrando, desde o seu desenvolvimento, um sistema bastante benéfico para a agricultura. E como o Brasil é um país muito grande em extensão e variedade de ecossistemas, o sistema possui várias versões adaptadas para cada situação. Versões, estas que foram desenvolvidas por produtores locais e técnicos buscando a melhor adequação para seus respectivos aspectos edafoclimáticos e tecnologia disponível. Portanto, é necessário avaliar os eventos que afetam a área de interesse, antes de realizar um planejamento para a implantação do sistema de plantio direto.

Como consideração final, apesar de terem sido publicados na primeira metade do século passado, os livros e pesquisas de Edward H. Faulkner continuam abordando temas atuais e podem ser de muita ajuda a produtores e técnicos da área. Caso possua curiosidade sobre os títulos do autor, clique aqui.

Restou alguma dúvida? Deixe seu comentário abaixo!

Você conhece as Novas Plataformas Inteligentes Agromove? Tenha muito mais que as Cotações do Boi Gordo, Milho e Soja atualizadas diariamente em suas Mãos!

Nova Plataforma Agromove
Nova Plataforma Inteligente Agromove

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here